quarta-feira, agosto 20, 2008

Bossuet - Oração fúnebre a Henriqueta Ana da Inglaterra




[...] Considerai, Senhores, as grandes potestades que daqui debaixo contemplamos. Enquanto trememos sob o poderio de sua mão, golpeia-as Deus para nos alertar. Motiva-o a alta posição destas; e Deus, que as não poupa, não sofre em sacrificá-las para instrução do restante dos homens. Cristão, não murmureis se a Senhora foi escolhida para nos instruir. Como vereis a seguir, aqui nada houve de indelicado, porque a salvou Deus pelo mesmo golpe que nos instruiu. Deveríamos já estar convencidos de nosso nada: mas se é mister maravilhar os corações enfeitiçados pelo amor do mundo, este lance é assaz grande e terrível. Ó noite desastrosa! Ó noite lamentável, em que num instante reboou, qual um raio de claridade, esta estupenda novidade: a Senhora morreu, a Senhora está morta! Quem não se sentiu atingido por esse golpe, como se um trágico acidente desolasse sua família? Ao primeiro rumor dum mal tão inaudito, acorreram a Saint-Cloud de todas as partes: tudo era consternação, exceto o coração da princesa. Tudo eram clamores; em tudo se enxergava a dor e o desespero, e a figura da morte. O Rei, a Rainha, o Senhor, a Corte inteira, o povo inteiro, tudo era abatimento, tudo desespero; a mim, parece-me que vejo o cumprimento da palavra do profeta: Chorará o rei, lamentará a rainha, e tombarão de dor e de abatimento as mãos do povo. Mas em vão gemiam os príncipes e os povos , em vão o Senhor, em vão cingia o Rei à Senhora em tão estreitos abraços. Podiam então dizer um ao outro, junto com Santo Ambrósio: “Strigebam bracchia, sed jam amiseram quam tenebam: Cingi os braços, mas já perdera o que tivera”. Escapava-lhe a princesa de entre os abraços tão calorosos, e a morte poderosíssima no-la levava de suas mãos reais. Mas, quê! ela devia morrer tão cedo! Com a maioria dos homens, a pouco e pouco se fazem as mudanças, preparando-as a morte para o derradeiro retoque. Entretanto, a Senhora durou da manhã até à noite, qual a erva do campo. Rebentava, na manhã, e bem sabeis as suas graças; de noite, ressecava, como vimos; e estas rijas expressões, com que exagera a Escritura Santa a inconstância dos negócios humanos, haviam de ser para a princesa o exato e o literal!