quinta-feira, junho 28, 2007

Bruno Tolentino




* 12/11/1940 - + 27/06/2007

[...]

Canta a canção do lírio e do alecrim,
essa canção que és e que na treva,
na escuridão da carne, andava perto
da imensidade que te invade. E assim
como o imenso te ampara,
ó voz tão clara
que consolas e elevas,
vem, desperta,
matriz da eternidade e d'O sem-fim,
ó mãe de Deus, canta e roga por mim

Requiescat in pace

Nenhum comentário: