terça-feira, setembro 19, 2006

Atualizações.. alheias

Tem-me faltado o recreio necessário à regular continuação deste espaço virtual. O tempo de tradução me vai rareando, e os deveres de estado se assomam um sobre os outros e todos sobre mim. Tenho pois que é de proveito que, à falta dum texto traduzido de minha lavra, indique o que de bom se escreve - segundo meu pobre alvitre - e aproveito também a fazer uma homenagem, quae sera tamen.

A primeira indicação vai ao excelente saite Permanência, mormente agora, na última atualização, em que meu amigo Alexandre traduziu do latim Meditationes para o ano litúrgico, a partir de lições de Santo Tomás de Aquino. Ensinamento perene da única e verdadeira Igreja.

A segunda indicação vai para o saite de O Indivíduo, que se tem levado adiante por Pedro Sette Câmara. Confesso-vos que me inspirei neste blog para ter um meu. A primeira tradução - lamentável - que fiz foi de um poema de Auden lançado naquele espaço.

Merecem também lembranças o saite do Profeta Urbano, de Elliot Chambers (abandona o protestantismo, meu filho, e volta ao seio da única Igreja); o de O Humanista, de E. Santiago; e o Asinum Asinus Fricat, de Cassiano Farias.

Last but not least, minhas homenagens sinceras a J. Sarto e Rafael Castela Santos, do imperdível A Casa de Sarto, que sofreram citar o saite, devido ao brilhante artigo de Garrigou-Lagrange, A Missa e a Morte, que rabisquei para o português.

A quem mais de direito - se vos esqueço - a minha sincera lembrança.